“Tu não precisas só de uma Leica, também precisas de uma cabeça e de um olho.”
May23

“Tu não precisas só de uma Leica, também precisas de uma cabeça e de um olho.”

Em 1914, Oskar Barnack, empregado na empresa óptica Leitz na cidade alemã de Wetzlar e um apaixonado cineasta amador, desenvolveu a primeira câmara em miniatura que não utilizava exposição de placa de vidro como outras câmaras na altura, mas rolos de filmes. Após a sua introdução no mercado em 1924, tornou-se um sucesso internacional e o seu tamanho compacto permitiu todo um novo género de fotografia. Desde 2014, a exposição “Olhos bem abertos! – 100 anos de Fotografia Leica” tem explorado a cultura que rodeia esta máquina e tem apresentado as melhores obras do século em várias cidades europeias.”

Read More
Rodas da Arte
Apr05

Rodas da Arte

“Eu sonhava tornar-me actor. Em vez disso crio esculturas de pneus.”

Read More
Construindo os nossos sonhos
Jul20

Construindo os nossos sonhos

Petros tem 28 anos e é actor de teatro. Há alguns anos atrás, após terminar a sua licenciatura em Finanças, enfrentou um dilema: encontrar um trabalho relacionado com os seus estudos, ou seguir o caminho incerto de actor. Ele escolheu o último. Encontrámo-nos com ele para perceber o que significa perseguir os nossos sonhos.

Read More
A cantiga é uma arma
Mar24

A cantiga é uma arma

As canções de protesto são comuns em todos os países. Características principalmente dos anos 60 e 70, quando o rock e o folk ganharam uma grande carga política e social, falando sobre o mundo, sexo, as relações entre pessoas, poder, discriminação – pedem mudança e denunciam o que está errado. Estas canções são especialmente importantes e corajosas em países onde combater a opressão pode custar-te a vida. E esse foi o caso em Portugal, durante os quarenta anos de ditadura que culminaram na Revolução dos Cravos, em 1974.

Read More
Deportação Cultural
Feb06

Deportação Cultural

Em 2012, sete corajosos amigos fundaram um negócio social que consiste numa “cozinha de bicicletas” e num pequeno e acolhedor bar em Novi Sad, no norte da Sérbia. Anna, Suzzy, Lani, Danny, Mary, Pavel e Simon passam o seu tempo a ensinar aos outros como reparar as suas bicicletas, a organizar workshops e cursos de línguas, a maior parte deles grátis.

Read More
Os Meus Caminhos
Jan17

Os Meus Caminhos

Nas ruas sinuosas da Arménia sinto-me enjoada e perdida, à espera de chegar ao destino.

Read More
Uma Maratona Pelos Museus de Erevã (Arménia)
Oct16

Uma Maratona Pelos Museus de Erevã (Arménia)

Nos últimos dez anos, a Arménia aderiu aos eventos da Noite dos Museus, e tem vindo a celebrá-los com grande entusiasmo. Este é um ano único para a Arménia, já que 100 museus em todo o país se juntaram ao evento, 39 dos quais estão localizados em Erevã. No dia 17 de Maio, os museus têm entrada livre e estão abertos a todos os visitantes, das 6 da tarde à meia-noite. Por isso, levei a minha câmara e caminhei por tantos museus quanto podia no tempo limitado que tinha.

Read More
Uma noite nos museus – impressões europeias
Oct09

Uma noite nos museus – impressões europeias

Quem nunca sonhou em passar uma noite num museu? Gostaria de saber como são os quadros, as obras de arte e as esculturas à luz do luar?
No Sábado 17 de Maio, o grupo de cultura de Meeting Halfway tentou fazê-lo por si. Bem, fizeram-no durante a noite europeia dos museus. Não visitaram cada um dos milhares de museus que participaram, mas da Grécia à Sibéria, da Espanha à Hungria, vamos dar uma vista de olhos ao que eles viram!

Read More
Liberdade acima de tudo: Andrea Petrović
Oct01

Liberdade acima de tudo: Andrea Petrović

“Juventude é como diamantes ao Sol e diamantes são eternos”, diz a letra da canção dos Alphaville “Forever Young”. Uma rapariga nos Balcãs brilha como um diamante mesmo estando frequentemente rodeada de pedras. Ela recusa pertencer. É ela própria. Andrea Petrović, a pintora, a música, a artista.

Read More
Gosto dos meus homens…
Nov12

Gosto dos meus homens…

Talvez seja o sotaque estrangeiro quando fala que te derrete o coração. Talvez seja como te segura, ou te despe, ou te sussura no ouvido, que te deixa louca. Talvez seja a forma como a cor da pele dele se mistura com a tua de uma maneira tão perfeita que nada se compara. É assim que gosto dos meus homens. Como gostas dos teus?

Read More
css.php

Ao continuar a usar o site, está a concordar com a nossa utilização de cookies. mais informação

As definições de cookies neste site são “autorizar cookies” por defeito, para providenciar a melhor experiência de navegação possível. Se continuar a usar o site sem mudar as definições, ou se clicar em “Aceitar” abaixo, está a consentir que se mantenha esta definição.

Fechar