Meu idioma, minha casa: O Catalão.

Nesta nova série de artigos da Meeting Halfway, “Meu idioma, minha casa”, apresentamos o catalão. Cada língua pertence a uma cultura única, e a uma visão de mundo ligeiramente diferente. Nesta série, nativos de várias regiões europeias nos explicarão o que significa, para eles, o seu idioma e porque é tão importante mantê-lo vivo.

Ouça este artigo em catalão.

Conteúdo não disponível.
Por favor autorize a utilização de cookies clicando em “Aceitar”.

Muitas pessoas que chegam na Catalunha, sejam como turista ou como estudante de intercâmbio, deparam-se com uma surpreendente situação: o catalão é o idioma oficial da região e é utilizado diariamente por todos os nativos. O desconhecimento, a princípio, surpreende alguns e, em suas cabeças, fervilham perguntas: “é um dialeto do castelhano ou uma idioma próprio? Todo mundo fala ou está um pouco fora de moda? Qual a diferença? O que tem de especial?”. Nos próximos parágrafos estas e outras dúvidas serão solucionadas e daremos também uma visão geral do que significa o idioma para as pessoas que o usam.

Para começar, o catalão é uma língua falada em mais lugares do que se pensa: além da comunidade autônoma catalã, também se escuta este idioma nas Ilhas Baleares, ao longo da fronteira de Aragão e Catalunha, em Valência – que tem sua variação própria, em Andorra, em algumas partes dos Pirinéus franceses, na cidade de Alguer e na ilha da Sardenha, na Itália. No total, mais de 11 milhões de pessoas utilizam o catalão diariamente. Incrível, não?!

20133027 catalan map

Entretanto, o catalão é idioma oficial apenas na Catalunha, Andorra, Valência, Ilhas Baleares e na cidade de Alguer. Para se ter uma ideia, trata-se de uma das línguas românicas e mistura, a grosso modo, o francês e o castelhano. Nasce por volta do século IX, mas o primeiro registro considerado literário escrito em catalão são fragmentos de um sermão destinado à pregação do evangélio, são as “Homílias de Organyà”, do século XIII. É um idioma que foi censurado várias vezes durante os séculos devido a diferentes eventos históricos, mas que, entretanto, conseguiu sobreviver e chegar aos dias atuais.

Colocando em contexto, o que torna este idioma único? É difícil explicar, há que conviver com ele. Mas para que se tenham uma ideia, existem muitas expressões e provérbios próprios do catalão. O mais bonito é pensar na história que há por trás de cada um, como se criou e porque se espalhou entre os falantes. Desde expressões como “ser quatre gats” (em português, ser quatro gatos), quando se quer dizer que há poucas pessoas em um lugar ou “bufar i fer ampolles” (soprar e fazer garrafas), que significa fazer algo facilmente. Há também uma infinidade de provérbios como “de mica en mica s’omple la pica” (pouco a pouco se enche a pia), utilizada para dizer que de pouco a pouco se vai conseguindo as coisas.

Entretanto, se olharmos além dos aspectos linguísticos, o catalão tem uma essência própria, como todas as outras línguas. Acredito que é extremamente importante mantê-la viva e que, cada vez que uma língua morre, o mundo perde uma perspectiva particular e diferente. Da mesma forma que os esquimós possuem uma infinidade de palavras para nomear a cor branca, e todos nós não estamos sequer acostumados a distinguir entre os diferentes tons, muitas palavras catalãs carregam uma parte da história com ela. Eu poderia recomendar a leitura de vários autores como Mercè Rodoreda, Salvador Espriu, Joan Maragall, Màrius Torres, Pere Calders… e a lista continua… Cada um deles contribuiu, à sua maneira, para tornar o catalão aquilo que é hoje.

Me considero privilegiada por viver em um lugar onde posso me expressar em dois idiomas, o castelhano e o catalão, sem distinção. Claro, esta é apenas a minha opinião, obviamente, existem pessoas que se identificam apenas com uma das duas línguas. Mas, o que é melhor do que absorver a perspectivas de diversos idiomas e ampliar sua visão de mundo? Sim, sem dúvida, eu me considero privilegiada.

[crp]

Autor Miriam Vázquez (Espanha)

Estuda: Jornalismo e Ciências Políticas & Administrativas.

Fala: Espanhol, Catalão, Inglês, um pouco de Francês e Alemão.

A Europe é… o único lugar onde pessoas de diferentes culturas, línguas e pontos de vistas convivem juntas.

Twitter: @mirabroad

Ilustrações

Andreea Mironiuc (Roménia)

Ilustradora freelancer, viciada em chocolate, sonhadora em full-time

Estuda: Design de Multimédia e Comunicação

Fala : Romeno, Inglês, Espanhol

A Europa é…onde o meu coração está

Portfolio: www.andreeamironiuc.com

FB: www.facebook.com/andreeaillustration

Tradutor

Frederico Brugnara (Brasil)

Estuda: Mestrado em Ciência Política

Fala: Português e Inglês

A Europa é… um pouco disto, um pouco daquilo…

This post is also available in Bosanski - Hrvatski - Srpski, Català, Deutsch, English, Español, Français, Italiano, Magyar, Nederlands, Polski, Română, Slovenčina, Türkçe, [Main Site], Ελληνικά and македонски.

Author: mariana

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

css.php

Ao clicar em Aceitar, está a concordar com a nossa utilização de cookies. mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close